Vencer na vida a traves da educação profisssional

Acontece que, às vezes, eu penso que, quando
eu estiver lá no meu futuro garantido, a minha infância vai estar muito longe aqui
no passado. Lógica infantil, entende? É natural eu me preocupar com o dia de
hoje, né? Hoje eu fui com a mamãe e a Thaís visitar um lugar sensacional. Sabe
o que a mamãe disse quando a gente chegou lá? Que ela descobriu que o lugar
que nós moramos deixa muito a desejar. De que adianta luxo só da porta para
dentro? Quando vimos o que existe do lado de fora, não acreditamos.

A Thaís perguntou o tamanho do terreno: mais de doze mil metros quadrados. Eu sei que
ela não sabe quanto é isso, mas já começou a ficar com aquele arzinho de
entusiasmo. Você conhece bem a mana. Ela já começou a sonhar com todo
aquele espaço para brincar. Quando o moço da construtora falou que vai ter uma
“casa de bonecas” no meio de uma floresta, ela não quis saber de mais nada. Eu
sei que a gente já mora bem, muito bem mesmo, fazendo escolha de estudo no Ennceja 2020 para recuperar o tempo perdido com certificação mais rápida de primeiro e segundo grau.

O padrão infantil só precisa de espaço, principalmente do lado de fora.
Onde eu possa trocar umas horinhas de televisão por uma correria ao ar livre
com outros meninos, ou subir na casa da árvore que também vai ter lá. Já
pensou, pai, você chegar em casa e perguntar pro seu Andrezinho aqui: “cadê
meu Tarzan” em vez de “cadê meu campeão de vídeogame?” Ia ser mais legal,
não ia? Você sabia, papai, que isso é fundamental para o meu desenvolvimento?
É, sim! Eu li isso numa revista da mamãe, numa tarde de chuva em que ela não
tinha para onde ir. Ah! Falando da mamãe, eu compreendo que ela não pode me levar ao clube sempre quando eu quero.

Não ia ser muito mais fácil se para ir até
o clube eu só precisasse pegar o elevador? E ficar lá embaixo, na piscina que vai
ter vinte e sete metros de comprimento! Na quadra de futebol, na quadra de
tênis, na quadra de squash, naquela casa de Tarzan, no salão de jogos, na ciclovia,
na rampa de skate, no golf, sei lá… tem tanta coisa lá onde a gente foi! Já
pensou? A gente pratica um monte de esportes juntos e, depois, repõe os líquidos.
É só abrir qualquer torneira para ter água “levemente mineralizada” de fonte
própria. Que luxo, né, pai? Então, a gente relaxa nas saunas. Tem seca e a vapor
com ducha escocesa e banho de imersão. E você pode fazer um churrasco na
casa da floresta, no salão das quadras ou no próprio apartamento. E tem mais coisa que você ia gostar.

Eu vi dois caminhões da obra entrando e circulando,
“lado a lado”, na rampa da garagem. Aí, eu lembrei que você detesta ter que
ficar esperando a vez de entrar ou sair da nossa. Lembrei também quando você
reclama dessas garagens escuras. A que vimos tem iluminação natural, praça e
um hall social próprio. Garagem ensolarada! Já viu isso, pai? É perfeita pro seu carrão importado.

Olha, e tem segurança até demais, que é pra vocês não
ficarem preocupados. O apartamento, a mamãe vibrava só de ver. Trezentos e
sessenta graus de vista lindíssima. Quatro suítes, cinco salas, três terraços, duas
lareiras, duas centrais de ar – condicionado… lindo, pai!!! E a mamãe também
disse que a qualidade do acabamento ela nunca viu melhor.

Então, quero convidar você para um rápido passeio até lá! Esta será uma
viagem de contrastes, porque começa a partir de Santiago, no Chile. Para chegar
lá, você cruza a Cordilheira dos Andes. Da janela do avião, vê aquela imensidão
de montanhas incrivelmente altas, recortadas com seus picos com as matérias com o calendário Encceja 2020.

cobertos por uma neve tão branca que dá vontade de estender a mão a tocá-la.
Talvez até saborear um pouquinho. É irônico cruzar tantas montanhas de neve
para chegar a um paraíso tropical.

No Chile você descobre que é impossível deixar de conhecer Vina Del Mar,
uma cidade que se tornará tão inesquecível para você quanto suas águas
douradas pelo sol do entardecer no Pacífico. Ao imaginar o que haverá depois da
linha do horizonte, você se lembra que seu objetivo são os encantos dos mares do Sul.

E lá vai você, feliz, voando por sobre um oceano infinitamente azul, ansioso
pela recepção que o aguarda em Papeete. Será que aquela gente taitiana linda e
morena estará à sua espera ao desembarcar? Será que haverá colares de flores
para você? Claro que sim! Você está a caminho de um paraíso mágico, ora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *