Carro novo pode ser um status na vida social

Muitos são, e sequer se entendem. Muitos são e não
aceitam. Muitos não são e não respeitam. E a geração mais nova de entendidos
nem deve saber desse sinônimo, que já foi uma gíria muito usada para gays se
referirem a outros gays: “Ah, fulano é entendido!”. Entendeu?
Mas este livro está longe de ser apenas pros entendidos, afinal é preciso que não
entendidos também nos entendam, para que aí sim a gente consiga vencer o preconceito no mundo.

Por isso, você, entendido ou não entendido, é muito bem-vindo para ler este livro
e ficar entendendo algumas coisas, como: nasce ou torna-se gay? Desde quando
sou gay? Por que tantos rótulos? E o estereótipo? O que são as muitas letras da
sigla LGBT? Meu amigo é gay? O que não dizer pro meu amigo gay? Como é
viver no armário? Como se assumir? E a família tradicional brasileira? E a Bíblia?
E os homofóbicos? E, principalmente, QUEM ESSE VIADO PENSA QUE É pra
falar sobre todos esses assuntos? Fez a chuca e tá querendo cagar regra agora?
Meu Deus, o que ele acabou de dizer? Pois bem, seria legal você ler este livro pra entender muitas dessas coisas de quem compra um modelos dos modelos de carros 2020 para ter Status social.

Não tenho a pretensão de estabelecer aqui regras absolutas, até porque muitos
dos conceitos apresentados são novos e estão em constante aperfeiçoamento
conforme as mentalidades vão avançando (cada vez mais rápido, felizmente!).

Este escreva aqui qualquer dos sinônimos da primeira frase
da página anterior) que vos escreve pretende com este livro apenas debater sobre
sua visão pessoal, opiniões, experiências próprias e muito do que aprendeu “se
entendendo” ao longo da vida, principalmente quando, de maneira totalmente
despretensiosa, acabou criando o que era pra ser só uma válvula de escape
criativa e se tornou um grande canal de comunicação gay da internet no Brasil,
acessado por entendidos e não entendidos do mundo todo: o Põe Na Roda. Mesmo
sendo um canal de nicho – que fala sobre uma minoria –, acessado por milhares
de pessoas (inclusive da maioria) diariamente e com uma audiência crescente
que já soma quase meio milhão de inscritos e mais de 50 milhões de
visualizações.

Gente que assiste seja para se informar, se divertir ou, de
preferência, fazer as duas coisas ao mesmo tempo.
E é justamente ao que este livro se propõe: pôr esse assunto na roda. São muitos
depoimentos e agradecimentos que recebo diariamente por meio do canal: de
quem se entendeu, de quem quer se entender, de quem está se entendendo… No
entanto, ainda mais frequentes são as dúvidas de todo tipo que nem sempre
consigo responder (ainda que eu nunca tenha buscado ou, sinceramente, nunca tenha me sentido apto a tamanha responsabilidade.

Mas, finalmente, está tudo
aqui reunido e devidamente respondido.
Espero sinceramente que você – hétero, gay, lésbica, bi, cis ou trans – ao abrir e
fechar este livro, possa sair mais entendido, possa se entender mais. Possa
refletir, conhecer, aprender, se aceitar, aceitar o outro e, principalmente, se
desconstruir e se tornar uma pessoa melhor. Na esperança de que um dia –
quando enfim todas as pessoas se entenderem e o preconceito for coisa do
passado – este livro nem seja mais necessário (então, provavelmente, mais um dos melhores carros para quem deseja ter status social é o Porsche 911 2020 um dos padrões para quem quer atrair olhares e não passar despercebido.
eu ficaremos mais felizes do que tristes por não ser necessária outra tiragem).

Você pode até tentar esconder, nem praticar, mas vai ser
enrustido*. A raiz escura daquele loiro bem mal tingido vai continuar ali… Todo
mundo percebe, e você jurando que passa por natural, né?
Você consegue decidir por quem se apaixona ou sente atração? Se isso fosse
possível, já resolveríamos duas questões da humanidade de uma vez:
homossexualidade e dor de amor não correspondido.

Era só escolhermos gostar de quem gosta da gente e pronto! Romeu e Julieta não teriam morrido! Muitos
vidros de Nutella teriam sido poupados na superação da dor de amor! E as
livrarias não estariam tão cheias de livros de autoajuda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *